Blasterjaxx

Apenas alguns anos foram suficientes para lançar os Blasterjaxx no estrelato da música eletrónica internacional. Outrora produtores relativamente desconhecidos, escalaram à velocidade da luz pelos trilhos da EDM, com um som de inconfundível magnetismo e envolvência. O crescimento instantâneo dos holandeses Thom Jongkind e Idir Makhlaf trouxe consigo alguns desafios que foram sendo respondidos com a excelência e a descontração de quem se tem um ao outro. Juntos, continuam comprometidos com o propósito de elevar a Electronic Dance Music a outro nível, sem que com isso percam a identidade que tão bem os caracteriza.

Nascidos e criados em The Hague, Holanda, desde cedo tiraram proveito da herança musical das suas origens, interpretando a dureza distintiva e característica do país, numa recriação contemporânea e única. Após o pontapé de saída do DJ Chuckie, que proporcionou à dupla a primeira colaboração com Carlos Barbosa, Escucha, no álbum Dirty Dutch Music, em breve estariam na mira das maiores produtoras da área.

Passando pelo “Musical Freedom” de Tiësto com “Loud & Proud”; “Gravity, Titan”, lançada pelaSpinnin’ Records; “Beautiful World”, parte dos Revealed Recordings do DJ Hardwele “Snake, Forever”Dim Mak Records, de Steve Aoki, o reportório estende-se com participações de peso em frentes diversas. “Astronaut”, Doorn Records, “Legend Comes to Life”, Mixmash, e “No Place Like Home”Ultra Music, são outras das referências de Blasterjaxx  durante o seu percurso, com a boa recepção por parte de artistas como David Guetta, Armin Van Buuren, Tiësto, Steve Aoki e Dimitri Vegas & Like Mike. 

O lançamento da sua própria produtora, evento e programa de rádio, Maxximize, foram as suas mais recentes e desafiantes concretizações. A Maxximize Records é já uma plataforma reconhecida quer para talentos emergentes, quer para artistas já estabelecidos, como é o caso de DBSTF, Boostedkids, Breathe Carolina e Jewelz & Sparkz.

Roterdão, Nova Iorque e Miami foram alguns dos palcos das suas festas, com presenças convidadas como Ummet Ozcan, Laidback Luke, Timmy Trumpet, Dannic, Danny Avila, Firebeatz e até Hardwell. 2015 foi um ano difícil para a dupla: numa carta aberta publicada na internet, Idir revelou estar a passar por problemas de saúde complexos, nomeadamente ataques de pânico e ansiedade derivados do stress, e por isso, renunciou às atuações com Thom nos DJ sets de Blasterjaxx. Ainda assim, trabalhando a partir do seu estúdio em casa, continua comprometido com o sucesso do projeto, contribuindo para o cimentar de uma reputação e reconhecimento no universo da EDM, que cresce de dia para dia. 

“Blasterjaxx será sempre o Thom e eu.”, disse ele, “Apenas mudam os nossos papéis. Nós sincronizámos completamente o nosso trabalho para garantir que continuamos com um processo de produção tão integrado como anteriormente, e eu sei que o Thom vai arrasar no palco, como sempre.” 

“A música é a nossa religião” é o mote deles e torna-se claro o compromisso que ambos assumem em dar continuidade aos Blasterjaxx – com a dupla mais saudável e focada do que nunca.